<
Web Ring Liberal
Ring Owner: Julio Belmonte Site: Web Ring Liberal
Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet
Site Ring from Bravenet
!DOCTYPE html PUBLIC "-//W3C//DTD XHTML 1.0 Strict//EN" "http://www.w3.org/TR/xhtml1/DTD/xhtml1-strict.dtd"> Nova Mensagem: Outubro 2007

Nova Mensagem

Fábio V. Barreto

|

segunda-feira, outubro 29, 2007

Um esclarecimento sobre Janer Cristaldo

Decerto soou estranho o meu comentário à respeito de Janer Cristaldo, feito no dia 19 de Outubro. Afinal de contas, não já indiquei tantos artigos dele por aqui? Já não o tive como um autor que gostaria de conhecer pessoalmente? Já não me correspondi tanto com ele, fezendo elogios e pedindo dicas sobre livros e lugares para onde viajar?

Sim, tudo isso é verdade. Mas não menos é verdade que vivo em mudança, em processo de amadurecimento e, desta forma, minha percepção das prioridades aumenta, bem como a distinção mais realista das coisas.

Na medida em que o li, vi que, na verdade, ele é bem menor que que me pareceu antes. Vi-o dizer tolices para sustentar suas preferências, bem como ataques tolos à autores muito melhores do que ele, como Machado de Assis, Olavo de Carvalho, Miguel Reale e o Mário Ferreira dos Santos (quanto ao MFS, ele negou ser ele um filósofo baseado no facto de nunca ter visto alguém o chamar de filósofo, bem como na leitura de um livro menor dele, do qual ele mesmo nem sequer se lembra do título!).
Como se isso não bastasse, ainda mostrou-se um ateu fanático, capaz de dizer as maiores barbaridades para atacar as religiões (lembremos do caso de Maimônides, ou de quando ele diz que um filósofo, um jornalista e um médico não poderiam ser católicos). Cristaldo mesmo afirmou que aderiu ao ateísmo aos 15 anos, apenas para gozar da sexualidade sem deveres de consciência. Hoje, aos 60, ele pensa a mesmíssima coisa. Ora, como uma pessoa não pensa haver algo de errado em chegar a uma conclusão sobre um tema tão sério por um motivo tão banal e continuar com a mesma postura por 45 anos? A atitude dele obedeceu exatamente ao esquema do ateu militante que o Olavo descreveu numa nota de rodapé n' O Jardim das Aflições. Como ateu militante, ele se mostra extremamente desrespeitoso para com a Virgem Maria e com Jesus Cristo. Como posso respeitar quem não respeita Cristo?

Mesmo a leitura de alguns de seus livros como A Vitória dos Intelectuais e o excelente O Paraíso Sexual-Democrata (o primeiro dele) não melhoraram muito a imagem dele para mim. Tanto que o último scrap que lhe deixei foi no dia 2 de abril, por ocasião do seu aniversário. De lá para cá, nada mais, e não mais mandarei.
Janer escreveu algo de bom e poderia ter feito ainda mais, numa escala progressiva. Mas foi vítima de suas próprias fraquezas. Hoje ele age como um homem em plena decadência, que não vê nada melhor a fazer do que atirar pedras no que vier à frente, como o Papa, o Olavo de Carvalho, o Reinaldo Azevedo, etc. Também mostrou gostar de arrotar falsos conhecimentos para sustentar sua mundividência. Com isso, pelo menos para mim, ele tornou-se o característico intelectual de mesa de bar, alguém que opina levianamente sobre todos os assuntos, um tipo que já descrevi aqui num dos últimos posts. Uma pena, mas é a triste realidade.

Há meses ele acabou-se para mim. E desta vez, digo definitivamente: adeus, Cristaldo!

Marcadores:

|

sexta-feira, outubro 26, 2007

90 Anos de Totalitarismo

Neste mês, a Revolução Russa fez 90 anos. 90 anos de totalitarismo, genocídio e carnificina. Não só por ela, mas também pelas revoluções que nela se inspiraram.
Quem quiser ter mais informações sobre o assunto pela internet, consulte: http://www.revolucaorussa.org/ .

Marcadores:

|

segunda-feira, outubro 22, 2007

Livros os quais eu não morro sem ler 3:

*Défense de la Tradition et des saints Pères - Jacques Bossuet
*La Politique tirée de l’Écriture sainte - Jacques Bossuet
*Obras Completas - S. João da Cruz
*Dictionnaire historique et critique de la Bible - Antoine Calmet
*Obras Completas - Santa Teresa d'Ávila
*Relatos de um Peregrino Russo - Jean Comblin
*A Nuvem do Não-Saber
*Intelligent Design: The Bridge Between Science and Theology - William A. Dembski
*Design Inference: Eliminating Chance Through Small Probabilities - William A. Dembski
*Slouching Towards Gomorrah - Robert H. Bork
*The Tempting of America - Robert H. Bork
*Darwin's Black Box - Michael Behe
*Darwin on Trial - Phillip Johnson
*The Wedge of Truth - Phillip Johnson
* In the Beginning was Information - Werner Gitt
*The Privilleged Planet - Guillermo Gonzalez
*The God Delusion - Richard Dawkins
*Dawkin's God - Alister McGrath
* A Descoberta do Outro - Gustavo Corção
*Liberdade Religiosa numa Comunidade Constitucional Inclusiva - Jónatas Machado
*Proslogion - Santo Anselmo
*The Twilight of Atheism - Alister McGrath
*Antologia - Eugénio de Castro
*Os Demônios - F. Dostoiévski
*Os Anos de Aprendizagem de Wilhelm Meister - J. Goethe
|

sexta-feira, outubro 19, 2007

Dando uma olhada no blog de Janer Cristaldo (um palpiteiro de mesa de bar que alguns têm na conta de intelectual), e fico sabendo que uma deputada do sul da Alemanha, de nome Gabriele Pauli, propôs uma lei de acordo com a qual os casamentos só teriam validade por sete anos. Findo esse prazo, se os cônjuges não renovassem o matrimónio, esse dissolver-se ia automaticamente.

Que interessante uma deputada preocupada em invadir o casamento dos alemães! Chego a ter lágrimas nos olhos ao ver a sra. Pauli empenhada em se meter na vida conjugal dos germânicos para a felicidade deles próprios (ou melhor, para baratear o processo de divórcio)! Fico comovido. Mais comovido ainda fico com o Janer, que costuma posar de defensor da liberdade, aplaudir tal despautério porque contraria as igrejas cristãs.

Nem preciso dizer que abreviar o mandato da sra. Pauli não foi, de forma alguma cogitado. A permanência dela no cargo, ao que parece, é mais nobre do que a intimidade conjugal dos alemães. Eu, porém, penso de forma diversa.

Com declarações estúpidas assim é que se vê o que Olavo de Carvalho chama de Estado-bedel: o Estado que se arroga em pai e guia dos cidadãos, mesmo em países democráticos. É assim, também, que se vê de que é feito parte significativa do encéfalo de Janer Cristaldo: fezes.
|

sexta-feira, outubro 12, 2007

Fotos da Revolução Russa

Resolvi aqui postar umas fotos da Revolução Russa. Não ponho fotos de cartazes políticos, de grandes discursos, mas das consequências da Revolução na vida da população. São imagens fortes de fome, miséria e tirania, mas que têm de ser vistas e revistas, dada a importância do facto.

Para que não digam que pirateei meus amigos, recordo o crédito de facilitar essas fotos ao meu amigo Leonardo Bruno, o Conde.


Crianças vítimas da fome no início da década de 20 do século passado, na Rússia:





Assassinato em massa perpetrado pelo regime bolchevique. Um dos vários ao longo da história da URSS:





Extermínio em massa na Estônia, em 1919, por parte dos bolcheviques:



E não só na Rússia. Atrocidades bolcheviques na Hungria e na Polônia:







Holodomor, Ucrânia, anos 20:






Mais crianças famintas na Ucrânia. Fruto direto da Revolução:





Prisioneiros num Gulag, o terrível campo de concentração soviético:





A morte de pessoas como moscas passou a ser algo tão banalizado que já nem mais choca os transeuntes das ruas:







Uma das várias valas comuns para as vítimas da Revolução destinada à instaurar "a ditadura do proletariado":



Marcadores:

|

terça-feira, outubro 09, 2007

Para Ler e Pensar 116

Cem pregos (e a teoria da brochada cósmica)
Pedro Sette Câmara comenta o filme Cem Pregos e fala da universalização do fracasso de um indivíduo.

São Ricardo Musse
Comentando as resenhas de dois de seus livros, Olavo de Carvalho faz uma explanação geral de sua filosofia.

Civilização, barbárie e relativismo: conteste seu professor petralha!
Reinaldo Azevedo ataca o relativismo dos professores esquerdistas.

Marcadores:

|

segunda-feira, outubro 08, 2007

Dicas para ser um Intelectual de Boteco

Não é raro toparmos com o conhecido "intelectual de bar". Creio que qualquer um já conheceu essa figura. Pensando nela, elaborei essa lista que, embora um pouco desordenada, é bastante realista:
1-Seja um apreciador devoto de bares, cafés e restaurantes, ao ponto de vê-los não só como sítios para refeições e conversas leves, mas como também ideais para a formação intelectual;
2-Leia, mas não se preocupe muito com hierarquias de leituras. Dê preferência à jornais, jornalecos e orelhas de livros;
3-Pelo mesmo motivo, cultive um horror à ideia de método científico, de status questionis. Isso é chato, coisa de intelectual de verdade. Lembre-se: você planeja ser um intelectual de boteco;
4-Quando falar, dê preferência ao tom categórico, à generalização do que à proporcionalidade e à realidade;
5-Evite demonstrar ter dúvida. Um pensador de boteco não deve ter dúvidas;
6-Se for pego numa situação difícil, desconverse, dizendo que “isso não interessa”, “isso é embromação”, “isso é muito bonito na teoria, mas na prática é diferente”, etc;
7-“Não li e não gostei” é algo reprovável para os outros. Mas para você, não;
8-Lembre-se sempre de manter um tom de superioridade, seja em relação oas interlocutores, seja em relação ao tema tratado;
9-Simplifique sempre. Não importa a complexidade do assunto. Sempre tente simplificá-lo, reduzi-lo a um esquema simplista, de preferência de acordo com suas crenças, ideias e mesmo (por quê não?) preconceitos;
10- Jogue para a platéia, isto é, seus interlocutores;
11- Escamoteie, tão logo seu interlocutor esteja lhe refutando de modo fulminante;
12- Faça perguntas em desordem. Aquele que se lhe opuser e que cair nesse jogo não poderá lhe acompanhar e assim você terá “vencido” a disputa;
13- Não vacile em tomar a prova de uma tese como se fosse a própria tese;
14- Raciocine circularmente. A conclusão deve vir em primeiro lugar, e todas as premissas que desenvolveres à partir dela devem sempre terminar nela mesma;
15- Em casos extremos, rir do oponente é bom. Mas só em casos extremos;
16- Use o argumento da autoridade, mesmo que, e principalmente se, ele não ajude em nada a esclarecer o assunto debatido;
17- Se bem trabalhadas, analogias fora do contexto podem ser bastante úteis;
18- O argumento da ignorância é um dos recursos essenciais ao intelectual de botequim. Portanto, não tema em dizer “nunca ouvi falar nisso”, “isso é ficção” e coisas semelhantes, mas sempre deixando a impressão de que você é superior a tudo isso, tão superior que desconhece o que é dito justamente por se tratam de ninharias;
19- Procure passar a imagem de que você é “O Cara”. Melhor do que você não existe, ou dificilmente existiu, existe ou existirá. Pode também citar alguns melhores, poucos mas que sejam aprovados por você;
20- Ponha o barzinho e tudo o que lhe é relacionado em equidade com a ciência e a alta cultura.
 
Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com Acessos: