<
Web Ring Liberal
Ring Owner: Julio Belmonte Site: Web Ring Liberal
Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet Free Site Ring from Bravenet
Site Ring from Bravenet
!DOCTYPE html PUBLIC "-//W3C//DTD XHTML 1.0 Strict//EN" "http://www.w3.org/TR/xhtml1/DTD/xhtml1-strict.dtd"> Nova Mensagem: Outubro 2004

Nova Mensagem

Fábio V. Barreto

|

quinta-feira, outubro 28, 2004

ADIAMENTO

Depois de amanhã, sim, só depois de amanhã...
Levarei amanhã a pensar em depois de amanhã,
E assim será possível; mas hoje não...
Não, hoje nada; hoje não posso.
A persistência confusa da minha subjetividade objetiva,
O sono da minha vida real, intercalado,
O cansaço antecipado e infinito,
Um cansaço de mundos para apanhar um elétrico...
Esta espécie de alma...
Só depois de amanhã...

Hoje quero preparar-me,
Quero preparar-me para pensar amanhã no dia seguinte...
Ele é que é decisivo.
Tenho já o plano traçado; mas não, hoje não traço planos...
Amanhã é o dia dos planos.
Amanhã sentar-me-ei à secretária para conquistar o rnundo;
Mas só conquistarei o mundo depois de amanhã...
Tenho vontade de chorar,
Tenho vontade de chorar muito de repente, de dentro...

Não, não queiram saber mais nada, é segredo, não digo.
Só depois de amanhã...
Quando era criança o circo de domingo divertia-me toda a semana.
Hoje só me diverte o circo de domingo de toda a semana da minha infância...
Depois de amanhã serei outro,
A minha vida triunfar-se-á,
Todas as minhas qualidades reais de inteligente, lido e prático
Serão convocadas por um edital...
Mas por um edital de amanhã...
Hoje quero dormir, redigirei amanhã...
Por hoje, qual é o espetáculo que me repetiria a infância?
Mesmo para eu comprar os bilhetes amanhã,
Que depois de amanhã é que está bem o espetáculo...
Antes, não...
Depois de amanhã terei a pose pública que amanhã estudarei.
Depois de amanhã serei finalmente o que hoje não posso nunca ser.

Só depois de amanhã...
Tenho sono como o frio de um cão vadio.
Tenho muito sono.
Amanhã te direi as palavras, ou depois de amanhã...
Sim, talvez só depois de amanhã...

O porvir...
Sim, o porvir...

Álvaro de Campos, heterônimo de Fernando Pessoa.




|

sexta-feira, outubro 22, 2004

ENQUETE

O Brasil é o país mais civilizados dos países bárbaros ou o mais bárbaro dos países civilizados?
|

quinta-feira, outubro 14, 2004

Nações Unidas empregam terroristas do Hamas

Mesmo com mais essa demonstração de seu caráter maléfico, não faltam pessoas que vêem a ONU como símbolo da paz, da liberdade e da harmonia entre os povos. A mídia brasileira, para variar, não falou nada a respeito.
|
Não raras vezes, a internet é o saco onde se depositam pérolas, como esse trecho de uma carta enviada ao Mídia Sem Máscara:

"Israel é um estado teocrático judeu, assim como os EUA são um estado teocrático cristão e o Irã é um estado teocrático islâmico. Enfim, em maior ou menor grau são farinhas do mesmo saco."

A carta não é texto que preste, mas essa parte chamou minha atenção pelo ridículo: Israel e EUA, Estados teocráticos!
Ora, o que caracteriza um Estado teocrático é o fato de que tanto os governantes quanto as instituições jurídico-políticas atuam com dons e carisma supostamente divinos. Nas teocracias, os governantes são sempre membros do clero pertencente à religião predominante e as leis são elaboradas com base em escritos religiosos. Às vezes, chegam mesmo a serem cópias desses. Nas teocracias não há liberdade religiosa; a vida nacional subjuga-se às regras da religião predominante.
Pelo sucinto esposto, vê-se claramente o absurdo que há em chamar os EUA e Israel de teocracias. Os dois países admitem liberdade religiosa e suas lei não dependem do que diz o Torá ou a Bíblia. Nesses dois países há, inclusive, grupos ateístas, secularistas, que combatem a presença da religião na vida das pessoas, relegando-a, quando muito, a um conceito vago na alma da população. O Irã sim, é uma teocracia. O assunto é vasto e tratarei dele mais pormenorizadamente em momento mais oportuno.

|

segunda-feira, outubro 11, 2004

"Dá ouvidos á justiça e esquece completamente a prepotência"

Hesíodo, poeta grego da Antigüidade.
|

sexta-feira, outubro 08, 2004

O ALBATROZ

"Às vezes,por prazer, os homens de equipagem
Pegam um albatroz, enorme ave marinha,
Que segue, companheiro indolente de viagem,
O navio que sobre os abismos caminha.

Mal o põem no convés por sobre as pranchas rasas,
Esse senhor do azul, sem jeito e envergonhado,
Deixa doridamente as grandes e alvas asas
Como remos cair e arrastar-se ao seu lado.

Que sem graça é o viajor alado sem seu ninho!
Ave tão bela, como está cômica e feia!
Um o irrita carregando ao seu bico um cachimbo,
Outros põem-se a imitar o efermo que coxeia!

O Poeta é semelhante ao príncipe da altura
Que busca atempestade e ri da da flecha no ar;
Exilado no chão, em meio à corja impura,
As asas de gigante impedem-no de andar."


Charles Baudelaire , poeta francês.
|

domingo, outubro 03, 2004

100% INSTITUTO LIBERAL !

Recebi ontem, com alguma antecedência, 6 livros que havia encomendado ao Instituto Liberal do Rio de Janeiro , a saber :

*Ação Humana , de Ludwig Von Mises
*O Caminho da Servidão , de Friedrich Hayek
*A Lei , de Fréderic Bastiat
*A Crise Argentina , de Mauricio Rojas
*A Ideologia do Século XX , de J. O. de Meira Penna
*O Salário Mínimo não Ajuda os Pobres , de Deepak Lal

Aproveitando os preços do IL, fiz anteontem outra encomenda, que recebi hoje pela manhã:

*A Contribuição de Hayek às Idéias Políticas de Nosso Tempo , de Eamonn Butler
*As Extraordinárias Reformas da Nova Zelândia , de Donald T. Brash
*As Seis Lições , de Von Mises
*Regulação Privada , de Yelsim Yilmaz
*Regulação sem o Estado , de John Blundell e Colin Robinson
*Como Elaborar uma Constituição para uma Nação ou República que está Despertando para a Liberdade , de Bernard H. Siegan.

Considero extremamente feliz a iniciativa do IL de publicar esses livros por aqui, visto ser o Brasil, infelizmente, um país onde as idéias estatizantes e paternalistas campeam. Por aqui sempre se pensa que a solução de todos os males pode ser resolvida pelo governo através de decretos, leis, punições, regulamentos, monopólios, ampliação da burocracia, etc. Pelo contrário; boa parte de nossos males vêm exatamente da atuação desastrosa do Estado na vida dos cidadãos, por meio dos mecanismos supracitados, além de outros.
Aliás, considero mesmo extremamente feliz a existência do Instituto Liberal no Brasil. Quem sabe se daqui a alguns anos haja um verdadeiro despertar liberal no Brasil? Se houver, o IL, sem dúvida, será um dos grandes influenciadores de tal fato.
Que Deus conserve o IL junto a nós por muitos e muitos anos!
 
Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com Acessos: